SUSANE VIDAL


Jornalista, escritora, professora universitária e mestre de cerimônia.

31
out
2011

Futuro de vidro

10 Comentários

Muitas vezes paro para me perguntar... com tantas mudanças, avanços tecnológicos, democratização da internet, inúmeros seguidores e amigos em redes sociais, celulares cada vez mais funcionais, leves, dinâmicos e interativos, onde vamos parar? E será que isso é possível? Parar de inventar, criar soluções práticas para as necessidades que sinalizam serem básicas no meio em que vivemos?

Se, talvez, não vamos parar, também não consigo parar de pensar nessas coisas, principalmente quando descubro ou sou apresentada ao universo de ferramentas, que concorrem entre si num mundo que, apesar de virtual, está cada vez mais próximo de nossa realidade. Por isso gostaria de compartilhar com vocês um vídeo, desses que, de fato, nos leva a uma reflexão do futuro já não tão distante.

Futuro de vidro no youtube


09
ago
2011

Pintando na blogosfera

3 Comentários

Tenho comigo uma, dentre várias certezas... Gostaria de destacar o que a vida nos coloca como processo cíclico natural das coisas. Parece complicado, mas não é. Muitas vezes o retorno não é tanto quanto merecíamos, desejávamos ou esperávamos, mas quando é bom, a satisfação nos enche de orgulho.

Falo das coisas boas que plantamos e um dia haveremos de colher. É a constatação de que somos sementes do bem ou de atitudes e comportamentos desprezíveis. Sempre vamos nos deparar, um pouco mais adiante, com situações que foram iniciadas algum dia, em algum lugar...

Na condição de professora universitária e jornalista diplomada (a citação não é intencional, mas uma repulsa à não obrigatoriedade do diploma para exercício da profissão) tenho tido muitos motivos para me alegrar, principalmente quando reencontro ex-alunos que conquistaram um lugar no mercado de trabalho.


02
ago
2011

Clip alunos de comunicação

3 Comentários

Toda vez que assisto eu fico encantada com a criatividade desse grupo de alunos de Comunicação Social do Canadá. E olha que não foram duas nem cinco vezes apenas que vi. Já exibi para meus alunos e eles gostaram muito. Agora compartilho com vocês, meus fiéis seguidores. Rsrsrs

É um clip da música “I Gotta Feeling”, do grupo Black Eyed Peas, gravado e produzido por 172 alunos de comunicação de uma Universidade do Québec, Montreal, Canadá. Destaque para a continuidade das cenas, praticamente sem cortes, e a sincronização dos movimentos de todos os participantes. Muito bom!!!

Clip alunos comunicação Canadá


01
ago
2011

O poder do recomeço

6 Comentários

O segundo semestre do ano chega oficialmente hoje e muita gente nem percebeu que metade do ano de 2011 já passou. Isso mesmo, a partir de agora começa a contagem regressiva para o fim do ano e, geralmente, vem a lembrança seguida de cobranças e questionamentos sobre o que se fez de bom, importante e produtivo nos últimos seis meses.

Cada um sabe de si e de sua história, mas é sempre bom provocar uma pausa para análise. Há quem perceba a necessidade de resgatar o tempo perdido, o tempo de aproveitar melhor os dias vindouros. O segundo semestre tem um sabor diferente, uma responsabilidade a mais, ou várias... Se pensarmos na lista de prioridades para este ano, elaborada por muitos no ano passado, é hora de correr, superar, acordar.

Fazer dieta, estudar, concluir pesquisas, casar, separar, aproveitar melhor o tempo... São tantas as tentativas, tão pessoais e, curiosamente, tão comuns, que compartilhar essas aventuras é como estar diante de um divã, popularmente decifrável.


27
abr
2011

O espetáculo da chuva!

10 Comentários

Quem já parou para observar a chuva deve ter percebido como ela é encantadora... Chega e traz sensações, seja de limpeza, varredura, recomeço, não importa. Mas, naturalmente, remete-nos a um lugar onde desejamos aconchego. E se estamos apaixonados, então, dificilmente não desejamos compartilhar o mesmo instante.

A chuva também nos deixa uma lição a ser observada com profundidade... Há momentos em nossas vidas em que precisamos de uma enxurrada, de uma boa sacudida, de levantar poeira, restaurar, alterar, modificar, reestruturar... É o que a chuva também simboliza. Ela cai e segue em direções diversas até se dissipar. Um efeito que facilmente nos põe a refletir nas tantas coisas que temos que deixar passar.

A chuva, em sua essência, pode representar água, choro, lágrimas. Independentemente da causa, o efeito sempre alivia a alma, renova, rejuvenesce. Faz bem ao nosso organismo e é imprescindível em muitas situações de nossas vidas. Pense nisso...


10
abr
2011

A força de um olhar!

10 Comentários

Em um dia comum durante a semana, num simples feriado, a convite de amigos, você sai de casa para um almoço de confraternização. Não sabe ainda, mas ali naquele local, vai encontrar o grande amor de sua vida. O que há muito esperava por isso...

Você chega, meio sem jeito e um pouco deslocado, típico de uma timidez pouco conhecida, é apresentado a algumas pessoas. Depois de alguns minutos de conversa sobre variados assuntos, logo percebe que está diante de uma companhia agradável (dessas que a gente não quer largar mais). A mesa cheia, opiniões diferentes, risos, olhares, música tocando e a sensação de que o tempo havia parado ali naquele instante.

Impressiona o quanto nos comunicamos sem palavras, apenas com gestos, atitudes, olhares... ah esses olhares são provocativos e estimulantes. O olhar possui uma força sem igual, nos desmonta, nos inquieta, nos sacode, enche de vigor, de uma alegria quase incontrolável. Difícil disfarçar e a pergunta é.... disfarçar para quê? Por quê?


15
jan
2011

Adoro seu cheiro!

23 Comentários

Que exclamação, que afirmativa, que revelação... Uma frase simples, mas que reúne argumentos inquestionáveis de que a pessoa deixa um rastro por onde passa. Lógico que, para receber um elogio desses, esse cheiro pode ser forte ou suave, porém marcante, faz recordar quem o elogia e satisfaz quem exala o perfume natural da pele bem cuidada.

O cheiro é retrato, é reflexo, também é identidade... cada um a seu modo, possui uma essência única, intransferível, singular. O cheiro transmite mensagens, códigos, olhares, se comunica. Depois de horas dedicadas à higiene pessoal (alguns, de fato, até exageram) é gratificante ouvir essa expressão, maravilhoso também é poder dizer a outra pessoa: Nossa, que cheiro bom!

Aqui não me refiro ao cheiro produzido pelas incontáveis fragrâncias de perfumes importados ou nacionais. Claro, não posso esquecer que elas ajudam e muito, mas detenho-me no cheiro da pele. E isso é bastante pessoal. Veja só... há quem aprove e também quem desaprove o cheiro da pele de outrem.